Ordem do Mérito Cultural é entregue a Genival Lacerda


Nascido em Campina Grande (PB), o cantor e compositor Genival Lacerda ficou conhecido por cantar Forró, Xote Baião e Arrasta-Pé. Em 1955, gravou seu primeiro disco de 78 rotações e obteve sucesso com a faixa "Coco de 56". Em 1964, incentivado pelo concunhado Jackson do Pandeiro, foi para o Rio de Janeiro, onde trabalhou em casas de forró. Ao longo dos anos, acumulou sucessos que conquistaram o País. Os títulos "Radinho de pilha", "Quem dera", "Mate o véio", "Galeguim do zói azu" e "Rock do jegue" são alguns exemplos. A música "Severina xique-xique" foi lançada na década de 1970 e consagrou o artista. O verso "Ele tá de olho na boutique dela!" se tornou o mais popular do cantor. Graças a essa composição de sua autoria e João Gonçalves, ele vendeu cerca de 800 mil cópias.
Em sua trajetória profissional, Genival gravou cerca de setenta discos e virou referência de humor e de musicalidade, que ultrapassou décadas e sobreviveu a modismos musicais. "Eu me sinto felicíssimo e orgulhoso em receber a Ordem do Mérito Cultural".
Trinta e duas personalidades e instituições brasileiras que se destacaram no cenário cultural do País ao longo dos anos foram reconhecidas com a Ordem do Mérito Cultural (OMC), maior honraria pública da Cultura. A condecoração foi entregue pelo presidente da República, Michel Temer, a primeira-dama Marcela Temer, e o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, em cerimônia nesta terça-feira (19) no Palácio do Planalto, em Brasília. O tema escolhido pelo Ministério da Cultura neste ano foi "Cultura, Inovação e Empreendedorismo". O objetivo foi homenagear toda a cadeia produtiva da Cultura e não apenas uma personalidade, como tradicionalmente ocorre desde 1995.  
"Neste ano, fizemos tremular a bandeira da economia criativa, do empreendedorismo cultural e de sua dimensão econômica. As atividades culturais e criativas constituem um setor cada vez mais relevante da economia brasileira, que responde por 2,64% do PIB e gera um milhão de empregos diretos. Trata-se de uma fonte de desenvolvimento econômico para a qual o Brasil demonstra grande vocação, que apresenta alto impacto na geração de renda, emprego e inclusão. Além disso, apresenta baixíssimo impacto ambiental", destacou Sá Leitão. "Esta cerimônia consagra esse novo olhar ao exaltar o tema cultura e empreendedorismo e ao valorizar a economia criativa e homenagear os que dedicaram muito de suas trajetórias profissionais em prol da cultura brasileira", completou. 
Ao final da cerimônia, em discurso improvisado, o presidente Michel Temer, no ambiente da OMC ao qual classificou como fraternal, contou aos presentes que sempre teve interesse em ingressar no mundo das artes e elogiou o desempenho do ministro Sá Leitão à frente do Ministério da Cultura. O presidente também reafirmou seu compromisso com a área cultural. "No ano passado, na mesma Ordem do Mérito Cultural (OMC), prometi que iríamos aprovar a prorrogação do Recine e da Lei do Audiovisual, e o fizemos. Hoje como prometi ao ministro Sérgio Sá Leitão, me comprometo em ampliar o orçamento da cultura para o próximo ano", afirmou Temer.
 Diversidade 
A seleção dos agraciados buscou a diversidade de áreas da cultura, de regiões, de raça e de gênero. Entre os agraciados, há desde artistas emblemáticos e grandes empresários do setor até personalidades da cultura popular local. 
Durante a cerimônia, houve apresentações culturais do coral Tutti Choir e da Orquestra Soncietá, que apresentaram um pot-pourri de canções do compositor pernambucano Marlos Nobre e outras músicas brasileiras, como "Aquarela do Brasil", e do grupo Galo da Madrugada, um dos agraciados este ano, que levantou a plateia ao ritmo de frevo. 
Graus de nobreza 
A Ordem do Mérito Cultural é composta por três classes: Grã-Cruz, Comendador e Cavaleiro. Integram a classe Grã-Cruz, o maior título, seis agraciados; a classe Comendador tem 11 nomes; e a classe Cavaleiro, 15. É possível que a mesma pessoa receba a comenda mais de uma vez, porém em classes diferentes. Os órgãos e entidades públicas e privadas, nacionais e estrangeiras são admitidos na Ordem sem grau de classes.
Seleção
O Ministério da Cultura recebeu indicações para a OMC 2017 entre os dias 29 de setembro e 18 de outubro. No período, qualquer cidadão pôde indicar grupos artísticos, pessoas físicas, iniciativas culturais ou instituições que apresentem relevantes contribuições à cultura brasileira. As sugestões são analisadas por uma Comissão Técnica do Ministério da Cultura e em seguida avalizadas pelo Conselho da Ordem do Mérito Cultural, presidido pelo ministro da Cultura. 

Com Informações da Assessoria de Comunicação do Ministério da Cultura

Comentários